Cidadania e democracia

  • Questão 1

    (FGV-SP) Tendo assumido a chefia do povo, três anos após a queda dos tiranos (…) começou, primeiramente, a repartir todos os atenienses em dez tribos ao invés de quatro, com a intenção de misturá-los a fim de que mais indivíduos participassem do poder (...) Em seguida, estabeleceu que a Bulé (Conselho) teria quinhentos membros ao invés de quatrocentos. (…) Dividiu igualmente o território da cidade em trinta grupos de demos, dez reunindo os demos urbanos, dez os do litoral, dez os do interior, dando a estes grupos a denominação de tritias.

    (ARISTÓTELES, Constituição de Atenas apud Jaime Pinsky (org.), Cem textos de história antiga.)
     
    O texto apresenta
     
    a) a tirania de Pisístrato.
    b) as reformas de Sólon.
    c) a reação aristocrática.
    d) a legislação de Drácon.
    e) as reformas de Clístenes.

    Ver Resposta

  • Questão 2

    (FGV-SP) Sobre a Guerra do Peloponeso (431-404 a.C.), é correto afirmar que

    a) as suas origens encontram-se num momento especial da história ateniense, pois a sua democracia atingia então o seu máximo desenvolvimento.

    b) a vitória militar de Atenas permitiu a ampliação dos direitos de cidadania, com a incorporação dos estrangeiros nas instâncias da democracia ateniense.

    c) a sua mais importante decorrência foi a criação da democracia ateniense, fruto do contato de Atenas com a cidade-estado de Esparta.

    d) a vitória de Atenas, aliada aos tebanos, permitiu que a democracia fosse levada a todas as cidades-estado, além de aumentar o poderio militar grego.

    e) a surpreendente vitória de Corinto permitiu o seu expansionismo territorial pela Ásia Menor e a consolidação da democracia em Esparta.


    Ver Resposta

  • Questão 3

    (Fuvest) Na atualidade, praticamente todos os dirigentes políticos, no Brasil e no mundo, dizem-se defensores de padrões democráticos e de valores republicanos. Na Antiguidade, tais padrões e valores conheceram o auge, tanto na democracia ateniense, quanto na república romana, quando predominaram


    a) a liberdade e o individualismo.
    b) o debate e o bem público.
    c) a demagogia e o populismo.
    d) o consenso e o respeito à privacidade.
    e) a tolerância religiosa e o direito civil.

    Ver Resposta

  • Questão 4

    (Fuvest) A cidade antiga (grega, entre os séculos VIII e IV a.C.) e a cidade medieval (europeia, entre os séculos XII e XIV), quando comparadas, apresentam tanto aspectos comuns quanto contrastantes.

     
    Indique aspectos que são
     
    a) comuns às cidades antiga e medieval.
     
    b) específicos de cada uma delas.

    Ver Resposta

  • Questão 5

    (Fuvest) “Alexandre desembarca lá onde foi fundada a atual cidade de Alexandria. Pareceu-lhe que o lugar era muito bonito para fundar uma cidade e que ela iria prosperar. A vontade de colocar mãos à obra fez com que ele próprio traçasse o plano da cidade, o local da Ágora, dos santuários da deusa egípcia Ísis, dos deuses gregos e do muro externo.”

    Flávio Arriano. Anabasis Alexandri (séc. I d.C.).

    Desse trecho de Arriano, sobre a fundação de Alexandria, é possível depreender
    a) o significado do helenismo, caracterizado pela fusão da cultura grega com a egípcia e as do Oriente Médio.
    b) a incorporação do processo de urbanização egípcio, para efetivar o domínio de Alexandre na região.
    c) a implantação dos princípios fundamentais da democracia ateniense e do helenismo no Egito.
    d) a permanência da racionalidade urbana egípcia na organização de cidades no Império helênico.

    e) o impacto da arquitetura e da religião dos egípcios, na Grécia, após as conquistas de Alexandre.


    Ver Resposta

  • Questão 6

    (Fuvest) Em 2008, aconteceu em Pequim mais uma Olimpíada. No mundo, peças teatrais estão sendo continuamente encenadas. Como se sabe, Olimpíadas e teatro (ocidental) foram uma criação da Grécia antiga. Discorra sobre
     
    a) o significado dos jogos olímpicos para os antigos gregos;
    b) as características do teatro na Grécia antiga.

    Ver Resposta

  • Questão 7

    (Fuvest) Uma maneira de compreender a distribuição temporal de fenômenos ocorridos em longos períodos é situá-los em um ano de 365 dias. Por exemplo, ao transpor os 4,6 bilhões de anos da Terra para esse ano, a formação do planeta teria ocorrido em 1o de janeiro, o surgimento do oxigênio na atmosfera em 13 de junho, o aumento e a diversificação da vida macroscópica a partir de 15 de novembro e o início da separação da Pangea em 13 de dezembro.

    Considere os seguintes eventos:

    Evento 1. Surgimento do Homo sapiens.
    Evento 2. Revolução agrícola do Neolítico.
    Evento 3. Declínio do Império Romano.
    Evento 4. A colonização da América pelos europeus.

    A partir das informações do texto, é correto situar os referidos eventos no mês de dezembro desse ano, no(s) dia(s)

     

    Evento 1

    Evento 2

    Evento 3

    Evento 4

    a)

    29

    29

    30

    30

    b)

    29

    30

    30

    31

    c)

    30

    30

    31

    31

    d)

    30

    31

    31

    31

    e)

    31

    31

    31

    31


    Ver Resposta

  • Questão 8

    (Fuvest) As cidades [do Mediterrâneo antigo] se formaram, opondo-se ao internacionalismo praticado pelas antigas aristocracias. Elas se fecharam e criaram uma identidade própria, que lhes dava força e significado.

    Norberto Luiz Guarinello, A cidade na Antiguidade Clássica. São Paulo: Atual, p. 20, 2006. Adaptado.

    As cidades-estados gregas da Antiguidade Clássica podem ser caracterizadas pela

    a) autossuficiência econômica e igualdade de direitos políticos entre seus habitantes.

    b) disciplina militar imposta a todas as crianças durante sua formação escolar.

    c) ocupação de territórios herdados de ancestrais e definição de leis e moeda próprias.

    d) concentração populacional em núcleos urbanos e isolamento em relação aos grupos que habitavam o meio rural.

    e) submissão da sociedade às decisões dos governantes e adoção de modelos democráticos de organização política.


    Ver Resposta

  • Questão 9

    (Fuvest) Não é possível pôr em dúvida por mais tempo, ao passar em revista o estado atual dos conhecimentos, ter havido realmente uma guerra de Troia histórica, em que uma coligação de Aqueus ou Micênios, sob um rei cuja suserania era conhecida pelos restantes, combateu o povo de Troia e os seus aliados. A magnitude e duração da luta podem ter sido exageradas pela tradição popular em tempos recentes, e os números dos participantes avaliados muito por cima nos poemas épicos. Muitos incidentes, tanto de importância primária como secundária, foram sem dúvida inventados e introduzidos na narrativa durante a sua viagem através dos séculos. Mas as provas são suficientes para demonstrar não só que a tradição da expedição contra Troia deve basear-se em fatos históricos, mas ainda que boa parte dos heróis individuais mencionados nos poemas foi tirada de personagens reais.

    BLEGEN, Carl W. Troia e os troianos. Lisboa: Verbo, 1971. Adaptado.

    A partir do texto,

    a) identifique ao menos um poema épico inspirado na guerra de Troia e explique seu título;

    b) explique uma diferença e uma semelhança entre poesia épica e história para os gregos da Antiguidade.


    Ver Resposta

  • Questão 10

    (PUC-Camp) As montanhas olham para a Maratona

    E Maratona olha para o mar;
    E ali meditando uma hora sozinho,
    Sonhei que a Grécia poderia ainda ser livre;
    Porque ali de pé sobre o túmulo dos persas
    Não me pude julgar um escravo.

    (C. M. Bowra. Grécia clássica. Trad. Rio de Janeiro: José Olympio, 1969, p. 86)

    Nesse poema, escrito em apoio ao movimento de independência da Grécia em relação ao Império Turco-Otomano, no século XIX, Byron destaca a batalha de Maratona, considerada um dos símbolos da resistência grega à dominação persa, na antiguidade. O legado histórico da cultura grega, marcante no mundo ocidental, se expandiu também pelo Oriente principalmente em função do helenismo, que corresponde à

    a) fusão de elementos culturais gregos e orientais, visível em Pérgamo, na Ásia, e na Alexandria, no Egito, resultante da dominação do território grego pelos macedônios.
    b) política expansionista do governo ateniense, acompanhado por um expressivo avanço no campo da política, das artes, da arquitetura e das ciências em geral.
    c) adoção das instituições políticas e religiosas gregas pelo Império Romano do Oriente, contribuindo para a consagração de Constantinopla como polo cultural.
    d) assimilação do conhecimento grego acumulado por artistas e pensadores árabes, e seu consequente aprofundamento no período de ocupação da Península Ibérica.
    e) influência do pensamento filosófico e científico desenvolvido nas cidades-estado gregas sobre todos os povos abarcados pela expansão colonial da Grécia.

    Ver Resposta